Crucilândia

 

HISTÓRIA DA CIDADE

Em 1674, dois portugueses integrantes da Bandeira de Fernão Dias Pais, atraídos por pepitas de ouro, seguiram por um ribeirão de águas muito limpas, e que se fixaram num sítio que chamaram de águas Claras, ponto inicial do Município de Crucilândia. 
Existem várias versões sobre a origem do município, cujo nome significa "Terra da Cruz". A primeira é a de que, em 1674, a bandeira de Fernão Dias Paes Leme transpôs a serra da Mantiqueira e fundou Ibituruna. Depois fundou Santana do Paraopeba, passando por Bonfim em direção ao Sumidouro. 
Dessa bandeira, dois portugueses, atraídos por pepitas de ouro, seguiram um ribeirão de águas límpidas, em cujas margens fixaram suas residências. Chamaram o lugar de "Águas Claras" e ali ergueram uma cruz; mais tarde, o lugar ganhou o nome de "Santa Cruz das Águas Claras". 
Outra versão, muito semelhante, afirma que a fundação do município se deve a dois integrantes de uma bandeira vinda do Sul, em direção aos sertões de Goiás, no início do séc. XIX. 
Atraídos pela beleza do lugar, fundaram um povoado às margens de um ribeirão de águas cristalinas. 

OPINIÃO DO TOLEDO

Em Crucilândia vi um dos lugares mais singulares de Minas Gerais: a Biboca. É isso mesmo, seu João Crente, um contador de causos exímio e cheio de alegria, me levou neste lugar maravilhoso. Lá o ribeirão bem, desaparece no meio nas pedras, entra na terra e reaparece majestoso um pouco à frente. Uma obra de arte da Natureza que merece ser vista. No local ainda não tem nenhuma infraestrutura, ou mesmo placas informativas, por isso, quem quiser is lá terá que recorrer aos moradores locais que conhecem a região.

Ainda na parte natural, Crucilândia tem a Cachoeira do Devico, que fica no terreno do Haras SRM (criador de muares), tem um campo de futebol e uma pequena infraestrutura. Lugar bem bonito e interessante. Para fechar a viagem vamos falar de dois temas: um profano outro religioso. No primeiro caso, está em Crucilândia a fábrica de uma das melhores pingas que tomei em minha vida (a Rosa dos Ventos). Tem uma linha dela, guardada na madeira há mais de 18 anos, que é maravilhosa. Quem produz e comercializa esta aguardente é a família do João Crente – todo mundo na cidade conhece. Já a Igreja de São Geraldo é a grande representante da religiosidade local, no dia 16 de outubro, data do santo, a cidade recebe romeiros de todo o Estado e de outras partes do Brasil.

Só que Crucilândia não tem hotéis estruturados, apenas uma pequena pousada. O mesmo que ocorre na vizinha Itaguara, que também só possui os conhecidos hotéis de “viajantes”. No entanto, há em toda região motivos de sobra para um grande empreendimento neste setor.

 

Viação Cipó

Cidade no programa Viação Cipó.

  • Cobertura telefonica: Claro - Oi - Tim - Vivo
  • T. Rodoviário: Viação Gardênia
  • Empresas aérea Não
  • Hospitais: Regional