Carmo da Mata

HISTÓRIA DA CIDADE

As terras onde hoje se situa o Município de Carmo da Mata não possuíam habitantes permanentes, sabendo-se apenas que o local abrigou em algumas oportunidades, elementos indesejáveis que fugiam à justiça da época, além de quilombos formados por negros fugidos das fazendas ao redor. 
Carmo da Mata foi, no século XVII, a região por onde transitavam, obrigatoriamente, aqueles que se dirigiam a Goiás, pela antiga Picada de Goiás, que indicava o caminho do oeste aos bandeirantes. Por volta de 1753, Inácio Afonso Bragança por ali passou e de tal forma seduziu-lhe a região, que se decidiu nela instalar­-se. A terra era fértil, banhada pelo rio Boa Vista, com campinas imensas e matas colossais. O clima, a água abundante e sobretudo a ótima qualidade do solo, tornavam a região o sítio ideal para uma sesmaria. 
O primeiro nome dado ao lugar foi Boa Vista, posteriormente trocado para Mata da Boa Vista, com o objetivo de diferenciar o lugar do Rio. Inácio Afonso Bragança para lá se transferiu, tendo de imediato requerido a concessão da sesmaria. Como demorasse o despacho de seu requerimento, sua esposa fez uma promessa a Nossa Senhora do Carmo, a qual foi cumprida quando, em 16 de julho de 1754, veio o despacho desejado. A antiga Boa Vista, contando com uma capelinha em honra à Virgem do Carmo, passaria a chamar-se Ermida da Mata da Senhora do Carmo, posteriormente abreviado para Mata do Carmo. 
A origem do topônimo é uma homenagem à santa padroeira, Nossa Senhora do Carmo, e uma alusão às matas existentes no município. 

OPINIÃO DO TOLEDO

Carmo da Mata é uma daquelas cidades que a gente se sente em casa, com todos os ares e jeitos do nosso interior. Tudo começou em torno da Igreja Nossa Senhora do Carmo, que deu nome ao município. Ligados a ela, estão os passinhos, que representam a Paixão de Cristo pelas ruas da cidade. Antigamente, existiam todos os Passinhos que contavam a vida, paixão e ressureição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Hoje, alguns deles, ainda intactos e com obras de arte raríssimas, relembram este tempo.

O passado também pode ser revisitado no casario antigo que ainda existe em Carmo da Mata, sendo o prédio do Fórum, de alguns colégios e mesmo residências os mais representativos. A sua visita à cidade ainda deve contemplar a Fazenda Palmeira, que já foi uma das mais produtivas da região e ainda guarda o estilo deste passado de glória, com currais e demais benfeitorias ligadas à produção agropecuária. Para fechar, como adoro uma queda d’água, chegamos à Cachoeira da Furquilha, um lugar bonito de longe e de perto. Água limpa, muito verde e paz neste recanto das nossas Minas Gerais.

 

  • Cobertura telefonica: Tim - Vivo
  • T. Rodoviário: Pássaro Verde
  • Empresas aérea Não
  • Hospitais: Regional