São Bartolomeu: uma rua e muitas histórias

São Bartolomeu está a 14 quilômetros de Cachoeira do Campo, sendo mais ou menos a metade de terra, mas em bom estado (não é necessário veículo 4 x 4 para se chegar lá). O distrito de Ouro Preto é um charme e tem algumas características marcantes, como a Matriz de São Bartolomeu, que, na verdade, são duas igrejas em uma. Primeiramente, havia uma pequena capelinha, dedicada a Nossa Senhora do Rosário. Depois, começaram a construir um templo maior ao lado, sem destruir a pequena. Aconteceu uma divergência entre as irmandades (instituições que comandavam as igrejas, cada uma tinha a sua) e acabaram ficando as duas juntas, a igreja maior normal e a outra com acesso por ela. Uma obra-prima do Barroco que você precisa conhecer.

O distrito ainda tem os doces tombados como bens imateriais de Ouro Preto: a melhor goiabada cascão de Minas é produzida lá. E também outros, como pé-de-moleque e doce de leite. O produtor mais conhecido do distrito é o Tijolo e sua loja fica em frente à Matriz. Ao lado também está o Cantinho Caipira (31 – 98520 1482), restaurante que oferece comida mineira da melhor qualidade, mas tem que agendar porque são poucas mesas. Para fechar, um banho no Rio das Velhas ainda limpo e cristalino. É só ir até o final do distrito, deixar o carro perto de uma porteira, caminhar 800 metros e pronto, você estará de frente para o rio mais importante da Grande-BH, por onde Minas Gerais começou e cresceu.

São Bartolomeu tem a Pousada São Bartolomeu (Tel: (31) 3071 8400 e WhatsApp: 98406 3139) e outra opção de hospedagem é a casa da dona Fátima, que fica na viradinha para o Rio das Velhas (Tel: (31) 3551 0908). Ela aluga quartos e tem uma simpatia cativante, é uma acomodação simples, mas a gente fica como se fosse a casa de um parente. Uma boa experiência. Na próxima matéria falo de Glaura.

Criando em: 15/01/2019